Chineses são os que mais investem nos Vistos Gold

Em abril, foram concedidas 53 Vistos Gold, 15 são provenientes da China. 

Os investimentos captados através dos “Vistos Gold” caíram 46% em abril, face ao período homólogo, para 28 milhões de euros. A comunidade chinesa continua a ser a que mais aposta neste investimento em Portugal. Os dados foram divulgados no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Em abril, foram concedidos 53 vistos ‘gold’, dos quais 45 por via do critério de aquisição de bens imóveis e oito através da transferência de capitais. No total, foram atribuídos 259 vistos ‘dourados’ nos primeiros quatro meses do ano.

“No mês passado, o investimento na compra de bens imóveis totalizou 24,4 milhões de euros e a transferência de capitais 3,6 milhões de euros […] Das 53 concessões de visto ‘gold’ em abril, 15 foram provenientes da China, nove do Brasil, cinco do Irão, três da Rússia e dois da Dominica”.

Até abril, em termos acumulados, foram atribuídos 7.970 vistos ‘gold’ por via da compra de imóveis, dos quais 519 tendo em vista a reabilitação urbana. Por requisito da transferência de capital, os vistos concedidos totalizam 479 e foram atribuídos 17 por via da criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

Por nacionalidades, a China lidera a atribuição de vistos (4.518), seguida do Brasil (895), Turquia (401), África do Sul (334) e Rússia (316).

Em mais de sete anos – o programa ARI foi lançado em outubro de 2012 –, o investimento acumulado até março passado totalizou 5.139.988.415,56 euros, com a aquisição de bens imóveis a somar 4.638.251.988,90 euros.

“Do total de investimento em compras de imóveis, 186.801.419,45 euros correspondem ao requisito de aquisição tendo em vista a reabilitação urbana. Já os vistos atribuídos por transferência de capitais totalizaram 501.736.427,66 euros”.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento estrangeiro, foram atribuídos 8.466 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017, 1.409 em 2018, 1.245 em 2019 e 259 em 2020.

Desde o início do programa foram atribuídas 14.552 autorizações de residência a familiares reagrupados, das quais 515 em 2020.

Partilhar artigo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Relacionados

Agenda

Nenhum evento encontrado!
Outros Artigos